MEUS VÔOS

terça-feira, 7 de abril de 2009



Presença viva

O vento tomou conta de mim...
Desalinhou meus cabelos
E, suavemente tocou minha pele
Senti sua presença como se,
Embriagasse, absorvesse
Do meu corpo frágil, nú
Desnuda de corpo e alma
Inalei a esperança que ele trazia
E tinha uma mistura afrodisíaca
Cheiro de mato, rosa
Ervas sendo diluídas...
Ao líquido a dimanar sobre meu corpo
Até então estático, frio
Não conseguia divisar nada
Apenas êxtase...
O vento trouxe a chuva
Vestida de cores
Amarelas, azuis, verdes.
Molhou minha pele
Lavou minha alma
E meus póros respiraram
Percebi, que estava limpa
Saudei meu espírito e,
Descansei por mais um dia.

Mérci

4 comentários:

joão disse...

Que doçura!
Você tramsmite deliciosamente com alma!

Rosemildo Sales Furtado disse...

É muito difícil avaliar a intensidade da sorte que o vento tem.

Maravilha. Parabéns!

Abraços,

Furtado.

João disse...

Deliciosamente maravilhosa!
Sem medo da redundância!

Fátima disse...

Parabéns...!!!
Sem medo de ser sensível!
Grande Beijo
Fá martins