MEUS VÔOS

quinta-feira, 16 de abril de 2009



Prisioneira de Mim

Nutro um sentimento,
Um carinho diferente
Descompassado e absurdo!
Ouço a batida no peito.
Sensação adormecida
Que lentamente vai aflorando.
Vejo uma alma, um estranho desejo,
Refletido como lanças
Estimulando a vida através da dor.
Num coração aflito.
Tanto de desejo, tanto de querer
Emergindo como um sentimento insano,
Um fogo adocicado,
A queimar minha pele urdida,
Fazendo estarrecer.
Deixando-me sedenta
Ao gozo dos deuses,
Molhada, pelo sêmem da vida,
Minha alma geme
Pedinte, presa
A descobrir no tempo,
O momento exato de ser feliz.

Mérci

3 comentários:

*andorinharos@ disse...

A ânsia pela busca, sempre é árdua e sofrida... E o momento, este tão preciso e esperado nunca acontece de fato. Vivemos sempre assim, prisioneiros de nós mesmos ansiosos pela libertação e conformados por não soltarmos as amarras que nos detem, cativos aos sonhos!
Nossa, muito bom repousara alma por aqui.
beijos minha querida.

Fátima disse...

Lindo!!
Parabéns,Mérci!
Cada dia com a sensibilidade
Mais Lapidada.
Beijos na Alma!!!
Fá Martins

Mérci disse...

Marisa e Fátima,
a presença de vocês aqui, é muito
importante prá mim.
Obrigada pelo carinho sempre
amodoro vcs